Login para Área Exclusiva

Login de Visitantes

É necessário estar registrado para ter acesso a Área Exclusiva

Se você ainda não está registrado

Contacte o administrador do site através do e-mail sp9ny@hotmail.com para saber novidades e ter acesso ao conteúdo exclusivo vetado a visitantes.

Login

Ainda não está Registrado? Registre-se!

TMTN, ou simplesmente As Tartarugas Ninjas, fez relativo sucesso na década de 80 com seus quadrinhos, mas estourou mesmo nos anos 90 com o cartoon e a série de 3 filmes. Anos mais tarde, vieram outra série animada e outro filme, dessa vez em CG. Porém, me limito a fase antiga da TMNT, quando eram mais cômicos do que ninjas. A imagem ao lado, por exemplo, é a de Donatelo nos quadrinhos, com ar mais frio e clima mais tenso. Tanto a série animada dos anos 80/90 quanto os 3 filmes em live-action trazem um humor no contraste da vida das tartarugas mutantes com a grande metrópole, fazendo desse um clássico. Ao lado de Ghostbusters, meus favoritos. Série produzida por Murakami-Wolf-Swenson, tendo estreado em 14 de Dezembro de 1987, primeiro como uma mini-série em cinco partes. A série apresentava os personagens criador por Kevin Eastman e Peter Laird para um quadrinho homônimo, mas alterando o foco agressivo para algo mais cômico e voltado para a família. A motivação inicial das Tartarugas Ninja foi justamente a criação de uma linha de brinquedos, pois a Playmates Toys estava preocupada com o número de leitores jovens que seguiam os quadrinhos. Eles então primeiro aguardaram o lançamento do seriado na televisão, para só então a empresa californiana anunciar o lançamento dos brinquedos para o verão de 1988. E esta série viria a fazer sucesso por muitos anos além. David Wise e Patti Howeth escreveram o roteiro para a primeira minisérie em cinco episódios com a supervisão de Eastman e Laird. Quando a série ganhou sua continuação na segunda temporada, o quadrinista Jack Mendelsohn entrou para a equipe como editor-executivo de roteiro. O programa ajudou a lançar os personagens a grande popularidade e o tornou uma das séries de animação mais bem sucedidas da história. Cereais matinais, brinquedos e todo o tipo de produto com a aparência de seus personagens foram lançados entre o final dos anos 1980 e começo dos anos 1990. Uma aclamada quadrinização da Archie Comics baseada neste desenho e impressa em preto e branco também foi publicada durante esse tempo. Além, é claro, de seus bonecos - que estavam entre os mais vendidos em todo o mundo. No anos 1990 o programa foi exibido em mais de 125 emissoras de televisão e os gibis vendiam cerca de 125.000 cópias por mês. A história original apresentada para TV em 1987 era bastante diferente daquela publicadas nas revistas da Mirage Studios, pois havia sido mais edequadar para toda a familia. Nessa versão, Splinter é apresentando como um ser humano, um honorável mestre de ninjutsu chamado Hamato Yoshi. Yoshi foi expulso do Clã do Pé (no Japão) depois de ser logrado pelo cruel Oroku Saki, que prendeu o kimono de Hamato Yoshina na parede com uma tanto, o impedindo de derrotar o seu sensei, algo tido claramente como um insulto. Quando Yoshi removeu a adaga, o mais uma vez o insultou, acreditando que Yoshi estava erguendo a adaga contra ele. Exilado do clã ninja, Hamato Yoshi rumou para Nova York, onde foi obrigado a viver nos esgotos. Enquanto vivia no esgoto tendo os ratos como únicos amigos, Yoshi encontrou quatro tartarugas, recentemente compradas em uma pet shop por um rapaz de nome desconhecido que acidentalmente deixou-as cair por um bueiro. Um dia, quando Yoshi retornava de sua exploração pelos subterrâneos de Nova York, ele encontrou as tartarugas recobertas por um estranho líquidos brilhante. A substância causou às tartarugas - e consequentemente a Yoshi - uma série de mutações que lhes deu uma forma humanóide, enquanto transformaram Yoshi numa espécie de homem-rato, que viria a se auto-intitular "Splinter". A diferença entre essa versão e a versão dos gibis publicados pela Archie é que na versão original Splinter era um rato, ao invés de um ser humano. Yoshi adotou as quatro tartarugas como seus filhos e as treinou na secular arte do ninjitsu. Os nomes que foram escolhidos para eles foram homônimos aos artistas renascentistas favoritos do velho ninja: Leonardo, Donatello, Rafael e Michaelangelo. Na maioria das versões, as tartarugas costumam ser chamadas pelos apelidos Leo, Donny, Raph and Mikey, mas neste desenho elas eram sempre chamadas pelos nomes completos. Cada tartaruga vestia máscaras de cores diferentes e treinavam um tipo de luta com armas distintas. Enquanto isso, Oroku Saki deixou o Japão seguindo o rastro de Yoshi até Nova York, onde ele pretendia destruí-lo de uma vez por todas. Dessa forma o vilão se associou a Krang, uma espécie de cérebro alienígena sem corpo que havia sido banido de sua terra, a Dimensão X, onde ele era um poderoso general. Saki criou uma nova identidade, usando uma armadura com afiadas lâminas, uma longa capa e uma máscara metálica cobrindo sua boca. Assim ele assumia a temida identidade de "Destruidor". Fica óbvio na primeira temporada que o líquido que deu aos nossos heróis suas formas mutantes foi na verdade despejado no esgoto pelo próprio Destruidor, num esforço inútil de destruir Yoshi, que acreditava que aquilo seria um veneno mortal. Logo, as tartarugas desejam se vingar do Destruidor, que desonrou seu mestre o transformando em um rato humanóide. No começo, tudo que eles querem é forçar o vilão a devolver a forma humana de Splinter, mas isso logo evoluiu para uma luta com a finalidade de parar a onda de crimes iniciada pelo malévolo Saki. Dessa forma os quatro jovens ninjas mutantes se tornam vigilantes mascarados fora-da-lei, assim como seu amigo Casey Jones, que apareceria apenas na terceira temporada. Embora no começo da série as tartarugas se mostrem muito preocupadas em manter sua identidade em segredo, essa preocupação vai passando no decorrer das temporadas. Demolidor, Krang, Bebop e Rocksteady (dois marginais transformados em animais mutantes graças à fórmula do Demolidor) e um pequeno exército de robôs tentam destruir as tartarugas e dominar o mundo. Muitos de seus planos de conquista global dependem de libertar o Tecnodromo (a fortaleza móvel de Krang) que ficara preso no centro da Terra, na Dimensão X, no Ártico ou no Oceano Ártico. Nas duas ultimas temporadas do programa, as Tartarugas finalmente conseguiram prender Krang e o Destruidor na Dimensão X. Eles destruíram os motores e o "portal transdimensional" do Tecnodromo impedindo que eles retornassem para a Terra. O desenho, que havia se estendido muito mais do que a maioria das animações das manhã de sábado, sofreu então uma dramática mudança. O ritmo então tornou-se sombrio e bem mais próximo das histórias originais do gibi, a cor do céu que outrora era azul começa a ganhar tons de vermelho escuro e o tema de abertura também foi alterado. Um novo vilão, Lord Dregg, um terrível guerreiro alienígena, surge como seu novo principal antagonista. Dregg inicia uma campanha publicitária contra as Tartarugas, virando a opinião pública contra elas. No último episódio da série, os heróis conseguem prender Dregg na Dimensão X.
Conteúdo:
Apenas 6 episódios em .avi baixados do eMule. A procura de mais.
Ao contrário do outro grande clássico que marcou minha vida, o cartoon dos Caça-Fantasmas veio em razão do filme. No desenho, existem referências claras ao acontecido nos filmes, porém segue um roteiro mais simples e direto pra criançada da época. As palavras de Egon, por exemplo, são bem mais simplificadas e evitam usar jargões mais complexos. Porém, não tira o encanto da série. Existia também uma série paralela, onde Geléia era o protagonista e os traços do desenho eram ainda mais simples e cartunescos. Infelizmente, ainda não encontrei essa série, por enquanto, somente a original. E, assim como TMNT, existiu outra série lançada anos depois que eu dispenso. O desenho foi produzido pela Sony Pictures Television, DiC Entertainment e Coca-Cola e foi exibido originalmente pela ABC. No Brasil foi exibido pela Rede Globo. O "The Real" ("Os Verdadeiros") do título foi adicionado depois de um briga judicial com a Filmation que já possuia um desenho animado com o título de Ghost Busters (Os Fantasmas no Brasil) - continuação de outro desenho homônimo ao filme, The Ghost Busters (anos 70) que no Brasil tinha o título de Trio Calafrio. Essa séria continuava as aventuras dos investigadores paranormais Dr. Peter Venkman, Dr. Egon Spengler, Winston Zeddemore, Dr. Ray Stantz, sua secretária Janine Melnitz e seu mascote fantasma Geléia (Slimer, no original). Houve também duas séries de história em quadrinhos, uma publicada mensalmente nos EUA pela NOW Comics e outra publicada no Reino Unido pela Marvel Comics, além de uma popular linha de brinquedos produzida pela Kenner. O dr. Peter Venkman é o desencanado do grupo. Mesmo não sendo oficialmente o líder, Venkman geralmente toma decisões mesmo quando não perguntado. Está sempre envolvido em situações cômicas e geralmente não é levado muito a sério. Dr. Egon Spengler, um gênio da ciência, costuma ser a fonte primária do grupo para entender os casos, ou mesmo para saber como combater o inimigo. Com sua habilidade em teorias, em vários episódios é ele quem mostra como solucionar os problemas, mesmo quando esses parecem não ter solução. Dr. Ray Stantz é o segundo na lista dos mais inteligentes do grupo e costuma ser o personagem que coloca em prática as teorias de Egon com seus inventos e tecnologia. Também costuma ser o mais brincalhão e otimista do grupo, além de ser o único que várias vezes consegue entender o que Egon tem a dizer. Winston Zeddemore é o corajoso e mais forte do grupo. É o mais habilidoso com a mochila de prótons, até de ser o motorista oficial do Ecto-1, carro por qual nutre grande paixão. Um curto episódio piloto foi produzido, mas jamais foi ao ar completamente. Algumas cenas podem ser vistas em alguns videos promocionais e na abertura da série. Assim como a maioria dos pilotos, esse episódio curto tem várias diferenças do resultado final. Na maior parte, as diferenças fazem lembrar o filme, como por exemplo, a barba por fazer de Peter Venkman que fazia se assemelhar com Bill Murray, os caça-fantasmas usando seus uniformes originais e Geléia aparecendo como um fantasma mal como era no filme. Algumas cenas do piloto foram editadas e usadas na abertura da série, sendo a mais notável a aparição de Stay Puft, o homem marshmallow. Outras cenas do piloto, como quando Ray acorda com um brinquedo do Sr. Stay Puft, quando o time desce o cano dos bombeiros e um dos inimigos sobrevoam o céu foram usadas na abertura especial de Halloween. O dublador da versão americana de Egon, Maurice LaMarche, disse que os diretores de dublagem pediram que ele não tentasse incorporar o ator Harold Ramis, mas que fizesse algo à parte. LaMarche mencionou isso porque, supostamente, Bill Murray teria questionado o fato de Lorenzo Music (dublador do personagem Peter Venkman nas duas primeiras temporadas) ter a voz parecida com a do personagem Garfield e não com a dele. A partir da terceira temporada, Dave Coulier assumiu a voz do personagem. Isso soa um tanto irônico, já que Bill Murray dublou, anos mais tarde, o personagem Garfield no filme em live-action. O único dublador que quase foi o ator do mesmo personagem foi Ernie Hudson, que seria na série animada o personagem Winston Zeddemore novamente, mas ele foi substituído na última hora por Arsenio Hall. A versão brasileira é composta dos mesmo dubladores do filme. Depois do sucesso do filme, a série animada se baseou na produção do cinema. Ao mesmo tempo em que The Real Ghostbusters era criada, a empresa Filmation começou a produção de seu desenho animado com o nome The Original Ghostbusters, uma continuação de uma outra série dos anos 70 chamada The Ghost Busters (note que essa série era grafada em duas palavras, diferentemente do filme, grafada em apenas uma). A Columbia Pictures não pode usar o mesmo nome do filme e incluiu "The Real" ("Os Verdadeiros") para não ter mais problemas com a Filmation. Com essa pequena rivalidade entre as empresas, houve um episódio em que um espiritualista charlatão apareceu na série sendo muito semelhante a Jake Kong, personagem do desenho da Filmation. Cada personagem feito por Jim McDermott tinha características parecidas com os atores do filme, porém com algumas pequenas diferenças. Priorizando o horário nobre em setembro de 1986, dois videos promocionais foram lançados para gerar interesse do público na animação. Nesses dois videos, personagens, equipamentos e veículos acabaram ficando na versão final também. Alguns dos personagens do filme fazem aparições na animação. Stay Puft, o homem de marshmallow, aparece inúmeras vezes e em um dos episódios, Walter Peck, da Agência de Proteção Ambiental, também participa. O uniforme dos caça-fantasmas mudam também sendo característicos da cada personagem. Egon se caracteriza por um macacão verde-azulado, Ray com um bege (sendo o único com um uniforme semelhante ao dos filmes), Peter com uniforme marrom e Winston com macacão branco-gelo. Geléia passou a ser integrante do grupo e a morar com os caça-fantasmas no antigo edifício dos bombeiros, motivo explicado no episódio "Citizen Ghost" (Cidadão Fantasma) em um flashback em que vários eventos do filme aparecem. Depois do filme Ghostbusters II nos cinemas, o personagem Louis Tully foi introduzido na série com a versão americana sendo dublada por Rodger Bumpass. No episódio "Partners in Slime" ("Parceiros na Gosma"), Peter é coberto pela mesma gosma do segundo filme. "Elementary, My Dear Winston" ("Elementar, meu caro Winston"), episódio baseado nos contos de Sherlock Holmes, é o único em que etiquetas com os nomes dos caça-fantasmas aparecem em seus uniformes, assim como acontece nos filmes. Também no episódio "Partners in Slime", a gosma que se altera conforme a reação das pessoas a seu redor era amarela na séria animada, enquanto no filme tinha uma cor avermelhada. Esse é o único episódio que faz claras referências ao segundo filme, como a inclusão de Louis Tully e a mudança no penteado de Janine, para deixá-la parecida com Annie Potts, atriz que a interpretou no filme. Os cerberus do primeiro filme também aparecem na série animada, porém com uma cor azulada, diferentemente da cor escura dos filmes. Eles aparecem pela primeira vez no episódio "Egon's Ghost" (O Fantasmas de Egon), mas não há menção aos nomes Zuul ou Vinz. Gozer também é mencionado, quando Egon diz que Cthulhu faz Gozer parecer uma garotinha assustada, na versão original. Nos primeiros 78 episódios, o roteirista J. Michael Straczynski deu um clima mais sombrio a série, normalmente não vista em séries animadas acostumadas a serem exibidas nas manhãs de sábado. Depois, a série ganhou um ar mais voltado ao folclore, crenças populares e alguns personagens característicos do feriado de Halloween, por exemplo, passam a ser mais constantes. Há também referências a outras séries animadas, como as Tartarugas Ninjas no episódio "Mean Green Teen Machine" (Significa Máquina Jovem Verde) e a filmes famosos como Star Wars e Batman. Percebendo o apelo infantil do personagem Geléia, a série foi renomeada em 1988. No nome original, "The Real Ghostbusters" passou a ser "Slimer! and the Real Ghostbusters", enquanto na versão brasileira passou de "Os Caça-fantasmas" para "Geléia e os Caça-Fantasmas". Houve também mudanças nos traços dos personagens, sempre evoluindo e ganhando mais detalhes, além da série ser distribuída em vários outros canais americanos.
Conteúdo:
71 episódios em DVD (de qualidade um pouco ruim)
11 primeiros da 1ª temporada em .avi (série incompleta)
Um dos pouquíssimos cartoons produzidos no final dos anos 90 que se salvam. Com temática bem adulta, originalidade, fidelidade aos filmes (exceto no visual de alguns personagens) fazem dessa série uma das melhores dentre os cartoons. Com piadas de humor bem ácido (em algumas situações até humor negro), temáticas complicadas como racismo e preconceito, além de tudo sem perder a ação e entretenimento. A série foi baseada no filme de 1997 e, em teoria, continuou onde o filme parou, embora com algumas pequenas alterações. Agente K permaneceu parceiro do agente J, embora uma história em quadrinhos da Marvel tenha revelado que as memórias de K foram restauradas (pra quem se lembra do final do primeiro filme). A sede própriad a MIB não estava mais sob o edifício ventilador do túnel Brooklyn-Battery, mas sobre o que parecia ser uma área abandonada no aeroporto de LaGuardia. Estas diferenças são, possivelmente, abordadas no episódio "A Síndrome do Sistema Estelar", onde é revelado que, de vez em quando, algum escritor ou algum hollywoodiano conhece a MIB e faz um filme sobre eles, possivelmente indicando que o filme live-action foi um desses incidentes. Houve algumas outras diferenças nas aparições em personagens do desenho animado. Agente L tinha cabelos loiros, olhos azuis e um penteado diferente, agente J não tem um bigode, e Zed tinha cabelos brancos e sem cavanhaque. Os olhos de Zed possuem grandes olheiras para dar uma impressão de falta de sono. Depois de uma temporada, Agente K também recebeu uma reformulação facial que o fez parecer mais jovem, com as linhas em seu rosto removidas, a cor de seus olhos mudou de marrom para azul e seu cabelo mudou de cinza, marrom ao vermelho-marrom. O show variou bastante no enredo de seus episódios. Vários episódios foram baseados no enredo do filme e trouxe de volta personagens como o Bug, os Arquillians, ainda que estes fossem retratados como pacíficos e benevolentes. A série em si tinha um enredo de longa duração, onde o MIB lutou contra Alpha, um chefe MIB anterior que havia sido amigo do Agente K e seu mentor. Eventualmente, Alpha se tornou um inimigo com sua ganância e procurou alcançar a imortalidade, assimilando raras partes do corpo de um alienígena a seu corpo. Ele se tornou um personagem recorrente de destaque da série. A fórmula do enredo basicamente foi para a MIB proteger a Terra do mal e para manter a paz em toda a galáxia. Tecnologia, bem como a política de manutenção da paz intergaláctica desempenhando um papel junto com a atividade criminosa comum em um nível de ficção científica. Outra característica da série inclui K freqüentemente negando pedidos de J para dirigir o seu carro, e os agentes MIB usando a cobertura "Divisão 6" quando se apresentam a civis ou de outras agências do governo não filiados ("Fire Marshall, Divisão 6" ou "Segurança das Nações Unidas, Divisão 6", por exemplo). Resumindo: série impecável!
Conteúdo:
Série Completa com 53 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Capitão Planeta seria o típico desenho pra passar pelo papel de ridículo devido a sua premissa: um defensor dos direitos ambientais e, por que não dizer, dos bons costumes saxões. Bom, para quem não gosta, até é. Mas a verdade é que o desenho era legal, tinha roteiro involvente (apesar de previsível), além de piadas ótimas e situações engraçadas envolvendo especialmente Wheeler. Jamais teve continuação cogitada. Falou-se em um filme live-action que, tomara, jamais aconteça. Faria a série perder todo o sentido. É bem provável que venha mesmo em CG. O logo acima é de uma fundação baseada no propósito do desenho. A série original foi uma das mais duradouras dentre os desenhos animados nos anos 1990, com a produção de 113 episódios. Durou três temporadas sob o nome de Capitão Planeta e os Proterores ("Captain Planet and the Planeteers", produzida pela TBS Productions e DIC), antes de ser licenciada e mudar o título para As Novas Aventuras do Capitão Planeta (produzido pela Hanna-Barbera Cartoons, que foi adquirida pela Turner em 1991). Essa nova fase teve diferenças visíveis a partir do original, como episódios que revelam mais do passado de cada um dos personagens. Isso não contradiz diretamente a primeira, mas expande dramaticamente o enredo. Gi conta a história de seu golfinho de estimação, enquanto Linka revela que é de uma família de mineiros que usaram canários para detectar gases letais nas minas, além de ser considerada como original da Europa Oriental, para evitar confusão nos espectadores nascidos após o colapso da União Soviética em 1991 (o que colocaria sua cidade natal canônica entre um dos países que ganharam a sua independência quando o colapso da União Soviética). Outras mudanças também foram visíveis, mais significativamente no estilo de animação. Enquanto os modelos de personagens dos episódios DIC foram mantidos, a nova animação usava menos os efeitos de sombra e foi um pouco mais colorida. Muitos dos personagens tinha renovado suas roupas. Os efeitos sonoros utilizados quando os Protetores usavam seus anéis foram alteradas e o eco na voz de Capitão Planeta foi embora, assim como o uso das músicas da DIC com uma trilha sonora específica, próxima ao synth rock. Essas faixas foram substituídos por um grande número de peças orquestrais, embora o famoso tema final tenha se mantido, agora mostrando cenas dos episódios de Hanna-Barbera. Um pequeno número de mudanças no elenco ocorreu, afetando Gaia e a maioria dos eco-vilões. Mas as duas produções possuem ótima qualidade.
Conteúdo:
32 episódios (série incompleta) em 4 DVD's
39 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Sem muitos comentários para um dos maiores ícones dentre os cartoons. Série completa com todos os episódios em excelente qualidade (a melhor possível devido a época em que a série foi produzida). Jamais se pensou em continuação (já que o último episódio nada acontece no sentido de fim da série) ou em filmes, revitalização da série, etc. Há muitos rumores somente. Seria legal um longa, desde que no velho e bom 2D. A série foi desenvolvida por Rankin/Bass e distribuída por Lorimar-Telepictures em 1983, baseado nos personagens criados por Tobin "Ted" Wolf. A animação foi produzida pela Pacific Animation Corporation, um grupo de estúdios japoneses, incluindo a Topcraft, que mais tarde viria a formar o Studio Ghibli. A primeira temporada foi ao ar em 1985 (com 65 episódios), seguido do filme intitulado ThunderCats - HO! em 1986. As temporadas 2 (1987-1988), 3 (1988-1989), e 4 (1989-1990), seguiram o novo formato de 20 episódios cada. No Brasil, a série foi inicialmente exibida em 1986 até 1990 pela Rede Globo, exibindo somente os primeiros 100 episódios dos 130 produzidos. Em 1995, Thundercats voltou a ser exibido pelo canal, no bloco TV Colosso. Nesse período também havia começado a ser exibido pela Warner Channel e pelo Cartoon Network. Em 2 de julho de 2001 passou a ser exibido pelo SBT, no programa "Bom Dia & Cia", na época apresentado por Jackeline Petkovic, desta vez, exibindo também o restante da série. Em 19 de janeiro de 2012 voltou a ser exibido novamente SBT, no programa Sábado Animado. ThunderCats conta as aventuras de um grupo de felinos sobreviventes do planeta Thundera. O episódio piloto da série começa com a destruição de Thundera, forçando os ThunderCats (uma espécie de nobreza Thunderiana) a fugir de seu planeta natal. A frota é atacada pelos inimigos dos Thunderianos, os mutantes de Plun-Darr, que destruiram todas as naves da frota Thunderiana, exceto a nave-mãe, na esperança de capturar a lendária Espada Justiceira (Sword of Omens, no original) que eles acreditam estar a bordo desta. A espada possui o Olho Místico de Thundera, a fonte do poder dos ThunderCats, encrustado na empunhadura. Embora os Mutantes tenham causado danos à nave-mãe, o velho guardião de Lion-O, Jaga, se oferece para pilotar a nave e levá-los em segurança ao "Terceiro Mundo". No entanto, Jaga morre no processo porque a viagem leva várias décadas, apesar da tecnologia avançada da nave interestelar. Entre os personagens principais estão o jovem lorde dos ThunderCats, Lion-O, e os ThunderCats Cheetara, Panthro, Tygra, WilyKit, WilyKat e Snarf. Quando os ThunderCats acordam de seu estado de animação suspensa no Terceiro Mundo, Lion-O descobre que sua cápsula de suspensão não conseguiu inibir o seu envelhecimento. Ele agora é uma criança no corpo de um homem. Juntos, os Thundercats e os nativos amigáveis do Terceiro Mundo constroem a "Toca dos Gatos", sua nova casa e sede mas, em pouco tempo, os Mutantes chegam ao Terceiro Mundo. Além disso, a chegada das duas raças alienígenas ao Terceiro Mundo não passa despercebida: ao tomar conhecimento do Olho de Thundera, o feiticeiro demoníaco mumificado do Terceiro Mundo, chamado Mumm-Ra, recruta os mutantes para ajudá-lo a adquirir o Olho de Thundera e destruir os ThunderCats, para que possa continuar exercendo seu controle maligno sobre o planeta.
Conteúdo:
Coleção Completa em 33 DVD's (melhor qualidade para DVD)
Talvez o outro grande ícone da geração de cartoons dos anos 80/90 ao lado de ThunderCats. A qualidade não é tão grande quanto a anterior, mas possuo a série completa com seus episódios envolventes e hilários. O último episódio, praticamente uma lenda, jamais foi produzido. Há esperanças de que filmes, tanto em live-action quanto em CG sejam produzidos, mas nada de concreto até o momento. A série fora coproduzida pela Marvel Productions, TSR e a Toei Animation, baseada no jogo de RPG homônimo. A série possui 27 episódios divididos em três temporadas, transmitidas originalmente entre os anos de 1983 e 1986 pela rede de televisão estadunidense CBS. No Brasil a animação tem sido transmitida periodicamente pela Rede Globo desde os anos 1980. Esse cartooon mostra uma história de seis crianças estadunidenses dos anos 80 que tentam voltar a seu mundo após chegarem ao Reino de Dungeons & Dragons em um passeio de montanha russa. O desenho possui várias referências ao universo do jogo de role-playing game Dungeons & Dragons. Apesar do enorme sucesso, especialmente no Brasil, a série foi cancelada e a explicação para esse fato é dada pelo produtor Gary Gygax em entrevista exclusiva para a edição 3 da revista Herói 2000 (novembro de 1999, Conrad Editora), escrita pelo jornalista brasileiro Pablo Miyazawa: "Em 1985, a equipe responsável pelo desenho se reuniu com os executivos da temporada seguinte. Os seis jovens, mais velhos e mais experientes, seriam chamados de volta ao mundo da Caverna do Dragão pelo Mestre dos Magos. Foram concebidos três scripts do desenho, e eu até aprovei um deles. Mas algumas dificuldades surgiram. A D&D Corp. fechou e a CBS com a Marvel decidiram não continuar mais com o desenho. A nova série foi cancelada antes mesmo de ser produzida". A Saban Entertainment Inc. detinha os direitos da série quando, em 1996, uniu-se à Fox Children's Productions, criando a Fox Kids Worldwide. Em 2001, o grupo foi absorvido pela The Walt Disney Company, renomeando-o "BVS Entertainment" e, consequentemente, adquirindo os direitos de Caverna do Dragão. Recentemente, a Mill Creek Entertainment comprou os direitos da série, porém, nada ainda é expeculado quanto a uma continuação ou sobre o famoso episódio final. Esse, aliás, se chamaria Requiem e foi escrito pelo roteirista Michael Reaves. De vinte e oito episódios, esse foi o único da série animada que não foi produzido por animação, embora seu roteiro oficial tenha sido criado. O episódio relata os acontecimentos finais da jornada dos jovens heróis aprisionados em uma fantástica e perigosa dimensão em busca do retorno ao seu próprio mundo. Em 2010, o roteiro foi vertido para os quadrinhos pelo cartunista brasileiro Reinaldo Rocha e disponibilizado para download, que pode ser conferido aqui.
Conteúdo:
Coleção Completa em 2 DVD's
Mario, além de ser o jogo de plataforma mais famoso e emblático de todos os tempos, também era um cartoon bem legal. Raro, passou por bem pouco tempo na Globo, mas tinha episódios bem interessantes. Valia pela fidelidade, dublagem perfeita e pela trilha sonora, que contou até com Ramones cantando "Surfing Bird". Existem 3 versões de animações envolvendo o Super Mario. A primeira, Super Mario World, os protagonistas da série são Mario, Luigi e a Princesa Cogumelo, vivendo agora em Dinosaur Land (às vezes também chamada Dinosaur World) com Yoshi, que foi descrito na série como um dinossauro filhote curioso com um grande apetite e fobias diversas. O Rei Koopa (também conhecido como Bowser) e os Koopalings são os vilões, sempre perseguindo o Super Mario Bros e a Princesa em Dinosaur Land. Ao contrário dos jogos, Dinosaur Land foi descrita como sendo habitada por homens das cavernas, incluindo um jovem das cavernas chamado Oogtar, que substituiu o papel de Toad. Alguns episódios giravam em torno de Mario tentando introduzir uma invenção moderna para os homens da caverna em uma tentativa de facilitar suas vidas, impedindo planos malignos de Koopas e seus "koopangas" (gostaram do trocadilho?). Não está claro se as personagens tinham viajado de volta no tempo (no episódio "TV Rock", o Rei Koopa menciona "não há TV aqui na Idade da Pedra porque ela não foi inventado ainda"), ou se Dinosaur Land é simplesmente um "Lost Valley" (no episódio flashback "Mama Luigi", Luigi menciona que ele e os outros vieram para Dinosaur Land, sem qualquer menção de viagem no tempo). O show foi originalmente exibido nas manhãs de sábado na NBC na temporada 1991-92 nos EUA. Ele foi destaque no preenchimento de grade de meia hora como um crossover do Capitão N: O Mestre do Jogo, intitulado Captain N & O New Super Mario World. Os episódios de Super Mario World depois foram apresentados como parte do pacote de Capitão N e os Mestres dos Games. Depois, a série foi separada de Capitão N completamente e mostrada em episódios curtos em reprises como parte de Mario All-Stars no Canal da Família, e mais tarde no USA Network. Esta série é a mais curta das três séries Mario de animação. As Aventuras de Super Mario Bros 3 incide sobre Mario, Luigi, Toad e a Princesa, que residem no Mundo do Cogumelo. A maioria dos episódios giram em torno dos esforços dos quatro personagens (incluindo Toad) para evitar os ataques feitos pelo Rei Bowser Koopa e seus 7 Koopalings para assumir o reino da princesa Toadstool. Como a série anterior caricatura Mario, a animação foi feita pela Sei jovem Animation Co. Ltd, no entanto, este show foi co-produzido por Reteitalia SPA, daí as pequenas diferenças de design de personagens. Desde que a série foi baseada em Super Mario Bros 3, os inimigos e power-ups também foram vistos no show. Além de ser mais fiel ao jogo Mario, a série foi dado um sentido estabelecido de continuidade, algo que a série anterior não tinha. O show também foi conhecido por ter muitos de seus episódios definidos no "mundo real", com os seres humanos aparecendo de vez em quando. Episódios ocorreram em locais como Londres, Paris, Veneza, Nova York, Cabo Canaveral, Los Angeles e até mesmo Washington, além do episódio memorável, intitulado "7 Continents for 7 Koopas" era sobre as sete crianças de Koopa invadindo cada um dos sete continentes. Já o The Super Mario Bros. Super Show! foi o mais emblemático, sempre com uma apresentação de uma série em live-action no melhor estilo sitcom estrelando Mario (Lou Albano) e Luigi (Danny Wells) como bombeiros do Brooklyn, sendo essa constantemente visitada por celebridades, tais como Nedra Volz, Norman Fell, Douglas Donna, Eva Plumb, Branco Vanna, Lange Jim, McKellar Danica, Nicole Eggert, Clare Carey e Brian Bonsall ou atletas profissionais, como Lyle Alzado, Magic Johnson e Roddy Pipe. Em um episódio, Ernie Hudson apareceu como um "Slimebuster", uma paródia de sua personagem em Ghostbusters, Winston Zeddemore e em outra ocasião Mario e Luigi receberam a visita do Inspector Buginganga, estrelada ao vivo por Maurice LaMarche. Houve também um outro episódio com Cassandra Peterson como Elvira, Mistress of the Dark. Todas as esquetes eram encenadas ao vivo. Cyndi Lauper é outra celebridade que fez parte do show.
Conteúdo:
28 episódios em .avi com as duas dublagens feitas em Português
Com temática muito mais adolescente que infantil, eis um dos maiores e mais cultuados cartoons de todos os tempos. Seguindo a mesma linha de Anos Incríveis, em mostrar a entrada na adolescência de um jovem do subúrbio de uma pequena cidade americana, com aventuras das mais variadas, humor de qualidade, enfim... praticamente sucesso garantido. A série se divide praticamente em duas fases, sendo a segunda produzida pela poderosa Disney. Porém, apesar da mudança em algumas coisas, como o visual de alguns personagens e suas vidas (Roger passou de pobretão a milionário!), a qualidade é praticamente a mesma. Dentre as melhores coisas da série, está a banda favorita de Doug, os Beatties (mistura de Beatles com visual dos Ramones), Skeeter seu melhor amigo de cor verde e apelidado de mosquito, sempre muito engraçado, além do romance non-sense com Patty Maionese (imagina quando casarem... ela vai se chamar Maionese Funnie!?!). Vale chamar a atenção da série que seu criador coloca todos os personagens com cores diferentes para não haver discriminação racial. Doug foi criado pelo ex-artista da Nickelodeon Jim Jinkins em setembro de 1990, e produzido pela empresa Jinkins, Jumbo Pictures, Inc. Originário de um livro não publicado chamado Doug's Got a New Pair of Shoes (Doug tem um par de sapatos novos), do artista e criador da série Jim Jinkins e com roteiro de Joe Aaron, a série animada Doug surgiu no canal de TV Nickelodeon, em 1991. A idéia para "Quailman", o Homem Codorna, um super-herói imaginário quem Doug muitas vezes finge ser nos desenhos animados, foi inspirado por um super-herói semelhante inventado por Jinkins, quando ele era mais jovem. A "chamada de codorna" é baseado em Colinus Virginianus (Northern Virginia Codornizes ou codorna), mesmo que o pássaro real não tem um nó arquetípica superior como Doug exibe com o cinto em sua testa. A série possui duas fases, sendo que na primeira, Doug estreou no Nickelodeon em 11 de agosto de 1991, onde continuou até 02 de janeiro de 1994, e foi exibido em reprises até 2003, sendo o primeiro Nicktoon. No primeiro episódio, Douglas Yancey Funnie e sua família (Phil, Theda e sua irmã Judy) chegam em uma nova cidade chamada Bluffington, depois de deixar sua antiga residência em Bloatsburg. Lá, ele conhece Skeeter, Patti, Roger e Beebe, e sua nova vida em uma nova cidade com novos amigos (quanto novo!). Durante a exibição do programa, ganhou dois prêmios Kids 'Choice (uma em 1992 e uma em 1995). Em 1996, a The Walt Disney Company adquiriu a empresa de Jim Jinkins, Jumbo Pictures, juntamente com os direitos sobre Doug. A Disney ordenou que fossem produzidos novos episódios da série, nomeando primeiro a série para Brand Spanking New! Doug e, em seguida, Disney's Doug. Essa fase foi exibida entre 1996 e 1999. O show também mudou as músicas-tema, como a melodia utilizada na Nickelodeon substituída por uma melodia assobiada na versão Disney. Muitas mudanças foram abordadas no último aniversário de Doug, o primeiro episódio da série da Disney. O episódio ocorre três meses depois da série da Nickelodeon, fazendo com que todos ficassem alguns meses mais velhos. Doug agora tem 12 anos de idade, em vez de 11. A Disney fez uma série de mudanças estéticas para os personagens. Doug, por exemplo, tem uma roupa ligeiramente diferente, o cabelo de Judy já não é mais raspado nos lados e Connie perdeu uma quantidade considerável de peso. Ao contrário da série da Nickelodeon, onde cada episódio era focado em Doug com ele narrando, a série da Disney teve vários episódios que também foram focados em vários outros personagens, geralmente sem qualquer narração. Por exemplo, o episódio "Chubby Doug Buddy" centra-se em Patti, e não apresenta narração, exceto por uma breve retórica feita por Patti no final.
Conteúdo:
Série incompleta com 50 episódios em 7 DVD's (VHS Rip)
56 episódios em .avi com dublagem clássica em Português (série completa em avi)
Apesar de não terem nenhuma ligação, a série de Bobby Generic (leia "Géneric" e não "Genéric", isso realmente estressa o protagonista) poderia servir muito bem como uma prequel de Doug Funnie. Praticamente todos os elementos estão lá, de sonhos mirabolantes vindos da imaginação de um garoto recém chegado ao ensino básico americano até a círculos de amizades com outras crianças bem esquisitas. Destaques especiais para o tio Ted e a abertura feita na mistura de live-action com cartoon protagonizada por Howie Mandel, famoso comediante canadense (e não "cantadense" <--- só quem assistiu a série vai entender essa piada). O pequeno Bob pilotava o seu triciclo aprendia a desvendar o mundo, valendo-se da sua extraordinária imaginação. A família do garoto também não ficava de fora das confusões, a mãe dele, Martha, era fã de Elvis Presley, sua irmã, Kelly, era uma adolescente "aborrecente" e o irmão mais velho, Derek, adorava pegar no pé de Bobby. O pai, Howard, aparecia no episódio em dose dupla, já que além de aparecer na animação, também interagia com o garoto no final de cada desenho, já na pele de Howie Mandel. Em alguns episódios, Bobby tinha que fugir de uma garota de longos cabelos ruivos chamada Jackie, que era apaixonada por ele, apesar de não admitirem, alguns fãs acreditam que no fundo ele também a amava. Em poucos episódios, Bobby se vê obrigado a visitar a sua tia Ruth, de quem antes de conhecer tinha muito medo. Um toque especial é dado pela presença do tio de Bobby, Ted, com suas camisas coloridas e seu cachorro Roger.
Conteúdo:
1 DVD com alguns episódios
13 episódios em .avi com dublagem clássica em Português
Uma das maiores marcas dentre os cartoons, talvez rivalize somente com a Disney, deixando a Hannah Barbera em terceiro. Saídos da Warner Bros e concentrando um sucesso maior dentro dos EUA (ao contrário da Disney que se difundiu mundialmente), são incontáveis pílulas de desenhos dos (também) incontáveis personagens. Pernalonga, Patolino, Gaguinho e cia fazem dessa série um clássico imensurável. Indispensável. Produzida de 1930 a 1969 e distribuída pela Warner Bros. Ela precedeu a série Merrie Melodies, e foi a primeira série de animação cinematográfica da Warner Bros. O nome Looney Tunes (que em português significa "Desenhos Loucos") é uma variação do nome Sinfonias Ingênuas, que foi o título da série concorrente de Walt Disney, de desenhos baseados em músicas. Os personagens regulares da série ficaram conhecidos como "os Looney Tunes" (muitas vezes incorretamente, intencionalmente ou não, como "Looney Toons"), sendo que os principais são: Pernalonga, Patolino, Gaguinho, Hortelino Troca-Letras, Piu-Piu e Frajola, Taz, Papa-léguas, Coiote, Frangolino, Eufrazino Puxa-Briga, Pepé Le Pew, Marvin, o Marciano, Ligeirinho dentre outros. Originalmente produzida pela Harman-Ising Pictures, a série Looney Tunes foi produzida por Leon Schlesinger Productions de 1933 a 1944. Schlesinger vendeu seu estúdio para a Warner Bros. em 1944, e foi renomeado como Warner Bros. Cartoons, continuando a produção dos desenhos até 1963. A produção de Looney Tunes foi terceirizada pela DePatie-Freleng Enterprises de 1964 a 1967, e a Warner Bros. Cartoons re-assumiu a produção para os dois anos finais da série. De 1942 até meados dos anos 60, Looney Tunes foi a série de desenhos animados mais popular nos cinemas dos Estados Unidos, sucedendo a Disney.
Conteúdo:
em breve
Os desenhos da Disney, que vieram ainda antes das denominações de cartoons, viraram referência e são tidos como pioneiros. Desde a década de 30, quando Mickey Mouse foi apresentado ao público ainda em cinemas, o império Disney começou a se formar. Hoje, com parques temáticos e incontáveis personagens saídos dessa gama enorme, com spin-offs de extremo sucesso, não há como negar que seja a maior empresa produtora de cartoons da história, além da mais emblemática. Dentre algumas das curiosidades da empresa, é sempre interessante destacar a associação de seus longas com a política de expansão do imperialimo americano, uma mistura de teoria da conspiração com viagem que chega até a fazer sentido em vários pontos. Independente disso, o selo Disney já traz qualidade a praticamente todas as suas obras. E seus milhares de personagens, um toque a mais na magia que a empresa mostra. Mickey, Donald, Pateta, Tico, Teco, Pluto, Minnie... difícil postar todos. Curiosamente, a empresa tinha menos espaço dentro dos EUA (perdido pra rival Warner com os Looney Tunes) mas dominava o mercado mundial com folga. Quase uma briga "Pepsi-Coca Cola". A The Walt Disney Company foi fundada em 16 de outubro de 1923 por Walter Elias Disney e seu irmão Roy Oliver Disney como um estúdio de animação, é hoje a maior empresa de mídia e entretenimento do mundo. O quartel-general administrativo da empresa está localizado em Burbank e Los Angeles. O conjunto de prédios administrativos em Burbank chama-se Disney Team. A Disney teve lucros de US$ 31 bilhões em 2006. Seus estúdios de filmes incluem a Walt Disney Pictures, Touchstone Pictures, Disneynature e mais recentemente, a Pixar. Desde 1996, a Disney também é dona da American Broadcasting Company (ABC), a maior rede de televisão dos Estados Unidos e do mundo - e também controla o Disney Channel o Disney XD e a família de canais de esporte ESPN. A divisão musical da empresa inclui a Walt Disney Records, Mammoth Records, Lyric Street Records e Hollywood Records. Também opera o Disney Vacation Club e restaurantes ESPN Zone. É dona da Hyperion Books, Disney Publishing Worldwide, Marvel e Walt Disney Cruise Lines.
Conteúdo:
55 episódios clássicos em .avi com as duas dublagens feitas em Português
Woody, ou Pica Pau é originado da Universal Studios (como sempre deixa claro no início da cada episódio), obra de Walter Lantz. Seu sucesso é estrondoso e colocou o estúdio no mapa dos cartoons. Apesar de seus spin-offs não serem tão famosos (como Picolino), até pela qualidade nem tão alta, é impossível não colocar o Pica Pau em qualquer lista de, pelo menos, 5 melhores cartoons de todos os tempos. Em seus primeiros desenhos animados, o Pica-Pau aparece como um pássaro louco, com uma aparência considerada grotesca. Porém, ao longo dos anos, o Pica-Pau sofreu diversas mudanças no seu visual, ganhando traços mais simpáticos, uma aparência mais refinada e um temperamento mais tranquilo. O Pica-Pau foi inicialmente dublado, nos Estados Unidos, por Mel Blanc, que também fez as vozes de quase todos os personagens do sexo masculino das séries Looney Tunes e Merrie Melodies. Como dublador do Pica-Pau, Blanc foi sucedido por Ben Hardaway, e mais tarde por Grace Stafford, esposa de Walter Lantz. Os desenhos do Pica-Pau foram transmitidos na televisão pela primeira vez em 1957, no programa The Woody Woodpecker Show, que mostrava novas sequências animadas do Pica-Pau interagindo com as filmagens em live-action de Walter Lantz, como se uma pessoa e um desenho animado estivessem apresentando o programa juntos. Lantz produziu os curta-metragens do Pica-Pau até 1972, quando ele fechou definitivamente seu estúdio. Desde então, o personagem só voltou a reaparecer em 1999, no programa The New Woody Woodpecker Show, produzido pela Universal Animation Studios de 1999 à 2003. O Pica-Pau é um dos poucos personagens de desenho animado que possui uma estrela na Calçada da Fama. Ele também fez uma pequena aparição junto com outros personagens famosos no filme Who Framed Roger Rabbit, de 1988.
Conteúdo:
197 episódios clássicos em .avi com dublagem em Português (série completa)!
A Warner mantinha uma série de animação de personagens que se tornaram quase que mascotes de sua divisão de cartoons: Animaniacs. Fazendo varias piadas com a empresa e seus clássicos, além de um humor extremamente avançado, apesar do desenho ser voltado ao público infantil, Animanics está sempre entre os primeiros nas listas de roteiros mais elaborados. Frases clássicas como "Olá enfermeira" fizeram desse cultuado cartoon uma febre na época. Ainda houve outros sucessos vindos da mesma série, como os aclamados Pinky e "Eu vou conquistar o mundo" Cérebro, com episódios pílulas em paralelo. Outra série paralela muito boa era a de três pombos durões vivendo nas ruas de Manhattan, Bobby, Squit e Pesto. Bom, seria mais fácil resumir tudo dizendo que a série tinha como produtor Steven Spielberg, garantia de qualidade extrema. O cartoon foi distribuído pela Warner Bros., produzido por Amblin Entertainment e inspirado no filme Uma Cilada para Roger Rabbit. As primeiras apresentações foram na ABC entre 1993 e 1994. As demais foram no Kids WB! entre 1994 e 1998. No Brasil, o desenho foi exibido pela Rede Globo nos extintos Xou da Xuxa, Sessão Aventura, TV Colosso e Xuxa Park; e no SBT, no Sessão Desenho, atualmente a série esta no Tooncast. Yakko (o mais velho) é um tagarela, Wakko (pré-adolescente) tem um grande apetite e sua sacola cheia de truques, e Dot (a caçulinha) é uma garotinha que usa seu charme e fofura em quem aparece no meio do caminho. Esses irmãos foram criados como estrelas dos filmes animados da Warner. Eles ficaram tão malucos que acabaram morando em uma torre d'água da Warner. Outros personagens importantes da série são Ralf, um segurança da Warner que sempre tenta capturar os Animaniacs, Dr. Otto Scratchansniff, um médico austríaco que cura esses personagens, Thadeus Plotz, um CEO da Warner Bros. Animation e a famosa Oláááááá Enfermeira, uma bela enfermeira que trabalha para o Dr.Otto, cujo seu maior desejo é ser reconhecida não por sua beleza, mas por sua inteligência (QI de 192). Curiosidade "curiosa": O nome completo de Dot é Princessa Angelina Contessa Louisa Francesca Banana Fanna Bo Besca Terceira. Da série nasceram dois spin-offs como um longa chamado O Desejo de Wakko e, claro, a famosa série que ganhou versão própria de Pinky e o Cérebro.
Conteúdo:
6 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português (Pinky & Cérebro)
7 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português (Animaniacs)
Os Ratos Motoqueiros de Marte eram uma espécie de cópia das Tartarugas Ninjas. Heróis que na verdade eram ratos humanóides com super motos vindos de marte e que ajudavam uma mecânica bonitona e honesta a combater o crime organizado de Chicado. Premissa bem esteriótipa, mas o desenho em si era legal. Bem legal. Não tinha tanto humor quanto TMNT mas tinha bastante ação. E, claro, eles não são tão clones das TMNT quanto Battletoads. Menção honrosa pra espetacular moto do Vinnie, o rato branco ao lado. Foi originalmente exibido nos Estados Unidos em 1993 e teve 3 temporadas até ser cancelada. O desenho foi exibido no Brasil nos anos 90 pela Rede Globo, no programa TV Colosso, e pelo canal pago Fox Kids. No planeta Marte existia uma raça de ratos ou camundongos antropomórficos que gostavam de motociclismo e tinham socidade e cultura muito similares aos da raça humana. Certo dia, todos eles foram dizimados pelos plutarkianos, uma raça alienígena de humanóides obesos, mau cheirosos e semelhantes a peixes, que exploravam outros planetas em busca de recursos naturais, pois eles exauriram os seus. Três sobreviventes (Todd, Brad e Vinnie) conseguiram encontrar uma espaçonave e escapar dos plutarkianos, mas logo foram derrubados por uma nave de guerra plutarkiana e acabaram caindo na Terra, na cidade de Chicago. Lá eles encontram uma charmosa mecânica chamada Charlene "Charley" Davidson (nada referente a famosa marca de motos, Harley Davidson, hã) e descobrem que os plutarkianos vieram à Terra para roubar seus recursos naturais. Descobrem também que o maior industrial de Chicago, Lawrence Bolacha, é na verdade um plutarkiano que está disfarçado como humano. Bolacha conta com a ajuda de vilões como o sadístico cientista louco Dr. Cérebro e o estúpido Bandalha para ajudá-lo a roubar os recursos naturais da Terra e enviá-los ao planeta Plutark. Lawrence Bolacha é uma testemunha involuntária das falhas em seus planos, e seu prédio é destruído pelos motoqueiros de Marte no final de quase todos os episódios. O desenho Biker Mice from Mars voltou às telas da TV em 2006, sendo uma continuação da história original. A nova série com 28 episódios teve problemas de produção no estúdio nas Filipinas e não foi terminada até o início de 2007, resultando no atraso do lançamento nos Estados Unidos e muitos outros países até 2008, enquanto ele ainda precisava ser dublado. A série de 2006 é muito mais voltada para a audiência jovem, mais que na série original.
Conteúdo:
13 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Os Smurfs. Tá aí algo incomum. Criados por um cartunista belga famoso, saíram como coadjuvantes de histórias em quadrinhos para ganhar fama ao redor do mundo. Seriam equivalentes a duendes, mas são azuis e bem mais infantís. Recentemente ganhou um longa em 3D misturado com live-action que é um lixo sem tamanho, em nada lembrando os cartoons que marcaram as décadas de 80 e 90. Apareceram pela primeira vez em 1958, na história de Johan et Pirlouit, "A Flauta de 6 estrumpfes" (publicada no comic belga Spirou). São pequenas criaturas azuis, que vivem em casinhas em forma de cogumelo, numa aldeia escondida no meio da floresta. No Brasil, são conhecidos principalmente graças a uma série de desenhos animados produzida pela Hanna-Barbera Productions e transmitida pela Rede Globo de Televisão na década de 1980. A história mostra que, em 1952, Peyo havia criado uma série de quadrinhos chamada Johan et Pirlouit para a revista Spirou. Tratava das aventuras da Idade Média de um cavaleiro chamado Johan e de seu escudeiro anão Pirlouit. Na história "La flûte à six trous" (A flauta de 6 buracos), de 1958, a dupla descobre a existência dos Smurfs, que passam a ter sua própria série de quadrinhos em 1959, fazendo mais sucesso que seus antecessores. As únicas personagens femininas são a loira Estrumpfina (Smurfette), a menina Sassete e a Vovó Smurf. Outros personagens marcantes são Gênio, o smurf dos óculos, um tipo irritante armado em sabe-tudo e o smurf Resmungão (Smurf Ranzinza, no Brasil), tão mal-humorado e pessimista que chega a ser tremendamente cómico, sempre repetindo "Eu odeio..." sobre qualquer assunto. Nos arredores da aldeia dos smurfs, vive o feiticeiro e alquimista Gargamel e seu gato Cruel. O feiticeiro persegue os smurfs. Inicialmente Gargamel queria apenas comer os Smurfs; mais tarde descobriu uma fórmula para obter ouro que precisava de Smurfs como ingrediente (no mínimo seis), mas depois de repetidas falhas, a simples possibilidade de vingança é motivação suficiente. Embora Gargamel já tenha capturado Smurfs errando por sua casa e floresta inúmeras vezes, ele jamais conseguiu matar nenhum. Ele também não conhece a localização da vila dos Smurfs, fato que constantemente o frustra (algumas vezes, conseguiu descobrir, mas esquecia o caminho). A Bélgica, país de origem de Peyo, criador dos Smurfs, recentemente cunhou uma série de moedas de 5 euros com uma figura de um Smurf, a fim de comemorar o 50º aniversário de existência dos personagens. Curiosidade: na primeira versão do cartoon de As Tartarugas Ninja, eles são citados como o desenho animado favorito dos vilões Bebop e Rocksteady. O desenho chamou atenção de alguns comentaristas políticos nos anos 80. Segundo eles os Smurfs seriam uma referência ao Comunismo. A comunidade divide fraternamente tudo o que produz, não há classes sociais, vestem o mesmo tipo de roupa (calças e touca brancas), exceto o seu líder, que veste as mesmas peças de vestuário, porém na cor vermelha. Em oposição aos Smurfs, levando em consideração a ideia de que realmente sejam comunistas, estão Gargamel e Cruel, o gato. A dupla inimiga representa o imperialismo, a vontade de dominar os "mais frágeis". O passatempo de Gargamel era capturar e cozinhar os Smurfs para transformá-los em ouro numa suposta referência em oprimir a classe trabalhadora e transferir os lucros aos burgueses capitalistas. Chegou-se mesmo a afirmar que o nome original "Schtroumpf" foi alterado para "Smurf" para coincidir com as iniciais da expressão "Socialist Men Under Red Father", literalmente: "Homens Socialistas Sob (o comando do) Pai Vermelho", sendo que o "Pai vermelho" seria o líder Papai Smurf, o único a se vestir de vermelho, cor-símbolo do movimento Comunista. Outras acusações, contudo, mencionariam possíveis referências ao nazismo, anti-semitismo e sexismo. Sobre essas acusações, Thierry Culliford, filho de Peyo e atual dirigente do Studio Peyo, disse que as acusações estavam "entre o grotesco e a falta de seriedade". Existe a acusação de que os Smurfs seriam uma analogia de antigos vilarejos europeus pagãos vivendo em harmonia e a sua grande ameaça seria o Gargamel representando um forasteiro com interesse em poder; este estranho seria uma analogia ao judeu dado a sua representação física (pele morena, nariz grande e cabelo encaracolado). Incrível como isso sempre acontece (caso clássico é o filme "Você Já foi a Bahia?" da Disney, constantemente acusado de ser manipulador a favor do imperiaismo americano).
Conteúdo:
Possuo 102 episódios em 8 DVD's (todos de VHS Rip)
17 episódios em .avi dublados
Como em todas as séries Disney, a qualidade dos Ursinhos Gummies era altíssima. Com cenários caprichados, roteiro sempre inteligente e personagens super carismáticos, é um dos melhores cartoons já produzidos. Se passando na era medieval e misturando mitologia, baseada especialmente em contos ingleses do século XVIII, tem dublagem brasileira impecável. Um verdadeiro clássico das manhãs semanais. Muita gente pode confundir com os Ursinhos Carinhosos, porém essa série tem um conteúdo e um ambiente muito mais avançado. A série centra-se nas aventuras dos Ursinhos Gummi, ursos antropomórficos que são os últimos remanescentes de uma civilização outrora grande de Gummis que se refugiaram séculos atrás, quando os seres humanos de sua região, com ciúmes dos avanços e habilidades mágicas dos Gummis, força-os a uma espécie de exílio. Considerado pela maioria da humanidade como contos de fadas, a série conta com seis ursinhos, no início da série, aumentando para sete durante a segunda temporada. Vivem no labirinto vasto subterrâneo de Gummi Glen no reino medieval de Dunwyn, sugerindo que o show acontecesse em algum lugar na Europa, sendo a Inglaterra o local mais provável. As aventuras dos Gummis começam quando eles são descobertos por um garoto humano chamado Crispin que, por acaso, tem um medalhão Gummi, encontrado por seu avô muitos anos antes. Depois que ele acidentalmente entra na casa de máquinas do "metrô" da colônia de Gummi Glen, eles o capturam e o interroga sobre como ele ganhou o medalhão. Durante o interrogatório, Crispim escapa após Soninha lhe dar o suco de frutas Gummi para beber sem querer, mas ele se recusa a causar qualquer dano e tenta fazer amizade com os ursos reclusos. Impressionados por esse comportamento civilizado, os ursinhos fazem-lhe jurar manter a sua confiança e torná-lo um amigo privilegiado da colônia. O medalhão mágico desbloqueia O Grande Livro da colônia de Gummis, um guia de referência mágica essencial para o conhecimento esquecido do Bears Gummi. Inspirado por seus escritos, a colônia resolve redescobrir sua herança e ajudar a defender Dunwyn contra o mal. Mais tarde, um outro ser humano a partir de Dunwyn acidentalmente descobre que os Gummis são reais: a jovem filha do rei, a princesa Carla. Ela também promete manter a existência Gummis em segredo. Posteriormente, os Gummis fariam amizade ou seriam descobertos por outros seres humanos amigáveis. O principal antagonista de ambos, tanto o reino Dunwyn quanto os Gummis, é o Duke Duro, um renegado nobre com um exército de ogros, da província vizinha de Drekmore. Infelizmente, na tentativa de parar Duque Duro de bombardear seus inimigos com uma catapulta grande, os ursinhos Gummi revelam sua existência para ele. Duro fará de tudo para descobrir e explorar os seus segredos para se tornar invencível e capturar Castelo Dunwyn. Seu principal objetivo é roubar a formula do suco de frutas Gummi, uma poção mágica que confere aos Gummis habilidades de salto e aos seres humanos ou ogros uma momentânea super-força, assim como outros vários usos, inclusive servindo como combustível para máquinas. Além de combater a ambição de Duque Duro, os Gummis regularmente encontram outros humanos maus e seres mágicos que variam de assistentes para os deuses, o tempo todo tentando esconder a sua existência do mundo em geral. Um dos principais temas das histórias recorrentes foram dos esquemas de Duro e o mistério dos Gummis antigos, que agora estão espalhados por todo o mundo, mas que deixaram a tecnologia avançada por trás deles.
Conteúdo:
17 episódios clássicos em .avi em Português com dublagem clássica
"Eu sou o terror que voa na noite. Eu sou a mosca que pousa sua sopa. Eu sou Darkwing Duck!". Pelas frases marcantes, participação de personagens famosos e carismáticos (como o Capitão Boing) e a dublagem maravilhosa de Nelson Machado (a eterna voz do Quico do Chaves) como o atrapalhado protagonista, essa série é um marco dos anos 90, apesar de ter ficado pouquíssimo tempo no ar. Sendo bem mais recente do que DuckTales, por exemplo, partiu mais para o lado da ação do que da aventura, como era a outra série em que Boing participava. Uma característica comum nos anos 90. Mas isso não tira o brilho dos episódios, sempre bem elaborados e engrassadíssimos com o anti-herói Darkwing. A série possui várias inspirações em Batman. Aliás, ela fora criada justamente pelo canal da Disney americana para concorrer no mesmo horário com o homem morcego. Trata-se de um spin-off de DuckTales e entrou em produção cerca de um ano após DuckTales terminou. Foi inspirada por um episódio específico de Ducktales chamado "Double-O-Duck", estrelado por Capitão Boing como um agente secreto. Alan Burnett, que logo depois de deixar a Disney para trabalhar em Batman: The Animated Series, contribuiu com o nome de "Duck Darkwing". A série possui características únicas e, mesmo os personagens reaproveitados de DuckTales possuem seus próprios desenvolvimentos dentro dela. Houve participações especiais de outras personagens de DuckTales no episódio "In Like Blunt" com os Irmãos Metralha, Pão-Duro Mac Mônei (eterno rival de Tio Patinhas) e da Maga Patalógica. Série indispensável!
Conteúdo:
51 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Por mais que muitos cartoons citados aqui sejam clássicos, convenhamos, raros são realmente originais. Porém, esse não é o caso de Carmen Sandiego. Partindo da premissa de uma ladra internacional que rouba por puro prazer e esporte, usando alta tecnologia e sendo caçada por uma dupla de irmãos que não tem medo de enfrentar aventuras, essa é sem dúvidas uma das séries mais originais de todos os tempos. Especialmente por se ambientar em cidades ao redor do mundo, sempre bem retratadas e mostrando muita cultura de cada lugar visitado. Prato cheio para pais que sempre buscam motivo pra deixar crianças assistirem a desenhos animados. Enigmas inteligentes, uma mistura de live-action na abertura e encerramento, jogos dos mais variados ao redor do mundo... enfim, série completa. O cartoon nasceu baseado no famoso jogo de PC dos anos 80/90 chamado "Onde na Terra está Carmen Sandiego?" (Where on Earth is Carmen Sandiego?, no original) e chegou a ter cogitada a criação de um filme também baseado nos jogos estrelando Sandra Bulock no papel da ladra Carmen. A história gira em torno da agência de detetives ACME, onde um computador com iamgem holográfica conhecido como CHIEF direciona as ações dos irmãos Ivy e Zack para caputarem Carmen. Todo o enredo dos episódios são como se fossem partidas do jogo de computador em si, onde descobrir pistas é essencial para solucionar os crimes. A todo instante é citado o nome do "jogador" pelos irmãos, por exemplo. Dessa forma, o cartoon passa uma imagem de interatividade entre as ações das personagens e o telespectador, mesmo que ela realmente não aconteça. A qualidade da animação é alta, com excelente caracterização de personagens e locais ao redor do mundo. Ao contrário do que algumas fontes trazem, a série não foi produzida pela Disney e sim pela DIC Entertainment, mesma produtora de Caça-Fantasmas e Capitão Planeta, por exemplo. Até por isso, os traços são bem semelhantes entre esses cartoons. Divertimento puro.
Conteúdo:
1 episódio em .avi com a dublagem clássica em Português
Resumir De Volta para o Futuro é fácil. Cartoon baseado numa das maiores séries de filmes de todos os tempos do cinema. Simples assim. O desenho manteve a fidelidade, era divertido, apesar do traço até tosco. Legal eram as cenas em live-action com o Dr. Brown original do filme contando um pouco do episódio que seria exibido. Vale por tudo, desde a diversão das histórias e seus paradoxos até por ver um dos carros mais famosos da história do entretenimento, o Delorean. Vários personagens presentes no filme ganharam maior destaque na série, especialmente a família do Dr. Brown, seus filhos Julio e Verne (sensacional a sacada dos nomes). Após a conclusão da Volta para o Futuro Parte III, "Doc" Brown estabeleceu-se em 1991 em Hill Valley com sua nova esposa Clara, seus filhos e Jules Verne, e o cão da família, Einstein. Tal como acontece com os filmes, as viagens no tempo são feitas através do uso de um DeLorean modificado, o que, aparentemente, foi substituído após a destruição do original no final da trilogia. O DeLorean novo era ativado por circuitos de reconhecimento de voz e também pode viajar instantaneamente para locais diferentes no espaço e no tempo, além de se dobrar em uma mala. As personagens também viajam através do tempo usando um trem a vapor inventado pelo Dr. Brown no final do terceiro filme. Embora Jennifer Parker faça aparições ocasionais, a série foca principalmente em Marty e na família Brown, enquanto que os filmes eram centrados na família McFly. O vilão do filme, Biff Tannen, também aparece de vez em quando. Além disso, os parentes de ambos os McFly e das famílias Tannen, de Biff, são abundantes no passado ou futuro paralelos visitados. Ao contrário dos filmes, que decorreu inteiramente em Hill Valley e arredores, a série frequentemente leva as personagens para locais exóticos. Muito boa! No final de cada episódio, Doc Brown parece fazer uma experiência, muitas vezes relacionados com a trama do episódio. A primeira temporada também incluiu pós-créditos segmentos com Biff Tannen contando uma piada relacionada com o episódio, possivelmente aludindo a carreira de Thomas F. Wilson como um comediante stand-up.
Conteúdo:
13 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
O Maskara talvez seja o cartoon com as piadas melhor elaboradas. Realmente engraçadas, com inteligência. Sátiras de filmes, situações, qualquer coisa valia pra nos fazer rir. Baseado no filme homônimo de grande sucesso e estrelado por Jim Carrey foi, sem dúvidas, uma das melhores séries de cartoons dos anos 90. Valia especialmente pelas piadas do Maskara, as trapalhadas de Stanley Ipkiss e sua vizinha resmungona, a Sra. Peenman, além de todas as aventuras que envolviam todos os personagens. Episódios sempre solucionados no próprio capítulo, o que não impedia a série de ter continuações de fatos nos seguintes, algo raro em cartoons. A reporter Peggy Brandt ganhou um destaque bem maior do que no longa live-action enquanto Tina Carlyle, par romântico de Stanley no longa não está presente. Niko e Dorian Tyrell, os dois antagonistas principais do filme de 1994, não aparecem na série animada também. No entanto, um rascunho de um episódio era ter os fantasmas de Niko, Tyrell e seus capangas mortos para voltar a Edge City e causar estragos. O enredo pretendia envolver tanto os fantasmas quanto seus bandos em desmantelar os membros das gangues restantes fora da cadeia, recuperar suas áreas de influência e retomar sua guerra um contra o outro. No entanto, o script pretendia mostrar a união de forças em um esforço para se vingar contra Ipkiss. Ambos, Matacena e Greene (atores do filme de 1994), foram sondados a fim de reprisar seus papéis, mas o episódio foi cancelado. O desenho animado, apesar de ter uma definição "realista" na cidade fictícia de Edge City, muitas vezes depende mais do estilo de humor de Tex Avery e de vez em quando, quebra todas as leis significativas da realidade; um episódio contou com as Goofalotatots, paródias dos Animaniacs, tratando-os como se fossem reais, por exemplo. Policiais são retratados como idiotas que não podem ver até mesmo pistas óbvias. Outra continuidade do filme foi a consistente visita do Máskara ao Coco Bongo, um clube noturno fictício glamouroso freqüentado pelas figuras mais importantes da cidade que fora baseado no Copacabana, em Nova York. No episódio "A Comedy of Eras", em que o Dr. Chronos manipula o tempo para que o Edge City futura torne-se uma cidade corrupta, em uma sociedade ditatorial dos anos 80 governado pela vilão, tem o Coco Bongo destruído - um fato que enfurece o Máskara e lhe proporciona a motivação para derrotar Dr. Chronos. Outro fato interessante foram os dois crossovers entre as animações de Máskara e Ace Ventura, dois papéis marcantes da carreira de Jim Carrey.
Conteúdo:
46 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Ducktales, Os Caçadores de Aventura, produzido entre 1987 e 1990, e inspirado nas séries de quadrinhos da Disney, produzidas, na sua maior parte, por Carl Barks e Romano Scarpa. É considerada a série de animação mais famosa já produzida pela Disney, pelo fato de ter sido a que teve mais episódios, no total, 100. Além da série, também foi produzido um longa metragem, intitulado "Patoaventuras e o Tesouro da Lâmpada Perdida", lançada em 1990, logo após terminar a série. O episódio-piloto foi transmitido nos Estados Unidos em 11 de Setembro de 1987. A série foi transmitida originalmente no Brasil entre os anos de 1988 e 1996 pela emissora SBT, com a dublagem feita na Herbert Richers para a TV, dublagem pela qual a série se tornou mais conhecida no país. Também foi transmitida nos canais da TV a cabo Disney Weekend e Disney Channel. A partir de 13 de Abril de 2009, a série animada volta a ser transmitida na Rede Globo, no programa infantil TV Globinho. Em 1991 voltou a repetir no Clube Disney na versão original com legendas em português. De 2002 a 2005, passou no Disney Channel, mas dublada em português. Em 2008, repete-se no Disney Cinemagic. Em 2009, também passou no espaço Disney Kids da SIC com a mesma dublagem portuguesa do Disney Channel e do Disney Cinemagic. Em 2012, volta a ser emitida no Disney Channel. A maioria dos episódios rodam em torno do Tio Patinhas, que envolve sempre a sua família, os seus amigos e é claro, os seus inimigos. Os episódios têm as mais variadas histórias, que geralmente envolvem viagens para todos os locais do mundo, conhecendo outros povos, civilizações, fazendo novos amigos (e inimigos), procurando relíquias e tesouros lendários, disputando competições, desvendando mistérios e até viajando no tempo. Quando não estão a viajar, as personagens aventuram-se dentro da agitada cidade de Patópolis, onde vivem. A série mostra, em muitas das vezes, as aventuras da Indiana Jones, principalmente pelo espírito aventureiro do Tio Patinhas, lembrar em muito o famoso arqueólogo vivido por Harrison Ford.
Conteúdo:
Série Completa com os 100 episódios clássicos em .avi com dublagem clássica em Português
Steven Spielberg Presents Tiny Toon Adventures, geralmente referidos como Tiny Toon Adventures ou simplesmente Tiny Toons, é uma série animada de televisão americana criada por Tom Ruegger e produzido por Amblin Entertainment e Warner Bros Animation. Ele começou a produção como resultado da Warner Bros restabelecendo seu estúdio de animação em 1989, após uma década de inatividade. Durante os anos 80, o novo estúdio só trabalhou em revivals dos personagens clássicos, o que significa que Tiny Toon Adventures foi o primeiro de muitas série originais de animação do estúdio. O cartoon foi a primeira série animada produzida pela colaboração de Steven Spielberg e Warner Bros Animation durante o renascimento de animação dos anos 1980 e início de 1990. O episódio piloto, "The Beginning Looney," foi ao ar como um especial no horário nobre na CBS em 14 de setembro de 1990, enquanto a série em si foi apresentada em 1992, quando o show foi licenciado exclusivamente para a Fox Kids. O desenho terminou a produção em 1992, em razão de Animaniacs mas, no entanto, dois especiais foram produzidos em 1994. Tiny Toon Adventures era um cartoon situado na cidade fictícia de Acme City, onde a maioria dos Tiny Toons e personagens Looney Tunes vivem. Os personagens participaram Acme Looniversity, uma escola cujo corpo docente é composto principalmente dos pilares dos desenhos animados clássicos da Warner Bros como Pernalonga, Patolino, Gaguinho, Frajola, Coiote e Hortelino Troca-Letras. Na série, a universidade foi fundada para ensinar personagens de desenhos animados como se tornar engraçados. A escola não é caracterizada em cada episódio, como nem todos os seus enredos são centrados em torno da escola. Assim como nos Looney Tunes, a série foi desenvolvida com elementos de violência dos desenhos animados (por exemplo, bigornas caindo sobre alguém ou uso liberal de explosivos) e comédia pastelão. A série faz paródias e referencias aos eventos dos anos 1990 e da cultura de Hollywood. Ocasionalmente, os episódios mergulham em histórias veladas ética e moralidade de ecologia, auto-estima, e crime. Essa é outra série baseada em "babyfication" de personagens famosos. Seus protagonistas são Perninha, Lilica, Presuntinho, Plucky Duck (o melhor de toda a série), Roy Corrói, Valentino Troca-Tapa, Felícia, Frajuto e Coiote Coió, mas há outros personagens baseados nos clássicos da Warner.
Conteúdo:
54 episódios clássicos em .avi com dublagem clássica em Português
Perdidos nas Estrelas é o tipo de cartoon que apenas 1 em cada 10 crianças dos anos 90 se lembram. Como teve exibição breve na Globo, em 1993, praticamente passou desapercebido entre a criançada. Assim como o Fantástico Mundo de Booby, antes de cada episódio havia o protagonista Macaulay Culkin em live-action contando como seria a história do episódio. A série se baseava em um garoto (Nick McClary) do suburbio americano que encontrou uma luva de baseball mágica, onde bastava fazer um pedido e socar a luva 3 vezes para ter o desejo realizado. Porém, junto com seus desejos, sempre vinham muitas confusões. Série realmente legal, personagens carismáticos como o cachorro Lambão, o grande amigo de Nick, Darryl e seu grande inimigo, Francis Vira-Lata (que odiava ser chamado pelo próprio nome). Outra série onde se destaca a dublagem, mantendo a voz famosa de Culkin em seu ápice. A série protagoniza o garotinho Nicholas Mcclary (Macaulay Culkin), mais conhecido nas séries por ser chamado pelo apelido "Nick", um garoto de classe média que levava uma vida normal para um garoto de sua idade, cheia de brincadeiras, colegas da escola e paqueras, até o dia em que cai uma estrela cadente em sua luva de baisebol, transformando o objeto numa luva mágica. A luva, que podia ser usada apenas uma vez por semana, tinha o poder de conceder qualquer desejo ao menino, desde que fosse batida três vezes na mão de McClary que, para evitar a cobiça alheia, a luva passou a ser escondida numa arca na casa da árvore de McClary. Apenas seu cachorro Lambão e seu amigo "CDF" Darryl Singletary sabiam sobre a existência da luva, e ajudavam sempre McClary a conservar o segredo, até mesmo dos pais do menino, o fotografo Sr.Mel McClary e a dona de casa Sra.Adrielli McClary, mas desses era fácil ocultar, pois estavam sempre ausentes. Complicado mesmo era guardar o segredo da sua irmã caçula Katie McClary e da vizinha xereta Sra.Bruxelas Opal. Quem vivia transformando a vida de Nicholas McClary numa confusão era Frankie Vira-lata, seu colega de escola que não gostava nem um pouco do protagonista e procurava sempre maneiras de colocar McClary em confusões. Se Frankie já era mal humorado, sua irritação dobrava quando alguém o chamava pelo nome verdadeiro que ele odiava e logo dizia: "Ninguém me chama de Francis". Francis tinha ainda um cachorro tão malvado quanto ele, chamado Carrapicho. Na versão original o protagonista foi dublado pelo próprio ator Macaulay Culkin e no Brasil pelo dublador oficial do ator mirim, Peterson Adriano. A irmãzinha caçula de McClary foi dublada pela irmã de Macaulay na vida real, Quinn Culkin. O desenho foi exibido no Brasil no início dos anos 90 no programa Xou da Xuxa.
Conteúdo:
Série Completa com os 13 episódios clássicos em .avi com dublagem clássica em Português
Os Defensores da Lei foi um dos melhores spin-offs da Disney usando seus personagens. Como Tico e Teco sempre fizeram sucesso tirando Donald e Pluto do sério, ganharam uma série própria, dessa vez como detetives. Com um jeitão bem mais sério do que os cartoons famosos, onde eles praticamente não falavam, as histórias se desenvolvem através de mistérios aos quais eles tem que solucionar ao lado de seus amigos e de engenhocas bem legais. É praticamente uma série irmã de Esquadrilha Parafuso, inclusive era exibida praticamente na mesma época pela Globo. A série mostra o momento em que Tico e Teco resolvem abrir uma agência de detetives chamada "Conexão Salva-Ação" (Rescue Rangers no original) e contam com a ajuda de seus novos amigos, Geninha, Monterey Jack e Zipper. A agência se especializa em crimes que, geralmente, são muito "pequenos" para os policiais de verdade, sendo seus clientes também animais (ao contrário de outros desenhos da Disney onde Tico e Teco estão presentes, nessa série existe o convívio entre personagens humanos, onde tanto os heróis e vilões são passados despercebidos, sendo notados poucas vezes). Seu principais inimigos são o Gatão, líder de uma máfia de gatos e que controla também outros animais e o cientista malvado Norton Nimnul.
Conteúdo:
40 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
He-Man e, por consequência, She-Ra são clássicos dos anos 80. Porém, não é um cartoon que me chamava tanta atenção como outros dessa lista. Mas, mesmo não estando entre os favoritos, é legal acompanhar as aventuras do príncipe Adam e o seu tigre(?!?) Pacato que, quando invocavam os poderes de Grayskull, se transformavam para enfretar Esqueleto, seu inimigo mortal. Os melhores episódios eram os crossovers com a outra série igualmente produzida de She-Ra.
Conteúdo:
27 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Um dos seriados mais famosos de todos os tempos ganhou a versão em cartoon, não menos especial. Tinha o personagem Glommer, não presente no seriado, mas todos os outros elementos estavam lá. Clássico indispensável.
Conteúdo:
1 episódio em .avi com a dublagem clássica em Português
Série baseada nos famosos Muppets, de tantos filmes nos EUA. Dessa vez, eles são apresentados como crianças, vivendo aventuras sempre apoiadas na forte imaginação. Cartoon indispensável pra pais e mães que queria algo leve, sem violência e educativo. Destaque para as cenas que misturavam o cartoon com live-action (até com cenas famosas de filmes, como Star Wars) e as trapalhadas de Gonzo e Animal, os dois melhores personagens.
Conteúdo:
Possuo 48 episódios em 7 DVD's (VHS Rip)
Denver é um dos cartoons mais legais de se assistir, por uma série de fatores. Primeiro, a dublagem brasileira, com sotaque carioca que sempre encaixa bem com o jeitão californiano. Tambem o fato de lembrar bastante o estilo de Goonies, filme clássico da era 80-90. Além do fato dos personagens serem muito engraçados, especialmente Shades e Mario. Clássico muito recomendado!
Conteúdo:
6 episódios em .avi com a dublagem clássica em Português
Eek the Cat estreou na TV Globo na metade da década de 90. Com um jeito escrachado, um humor que ia do sarcasmo ao humor negro, era difícil imaginar como algo infantil. Muito mais voltado para o público adolescente (exceto pra Globo). Algo legal no desenho, além de um cachorro em forma de tubarão chamado Sharky que sempre atacava o Eek, eram episódios pílulas que passavam após Eek the Cat, chamados "The Terribles Thunderlizards". Era uma dupla de homens das cavernas que viviam em um período jurássico onde dinossauros com tecnologia avançada e vindos do espaço tentavam capturar eles. Desenho totalmente independente, mas sempre muito engraçado, especialmente pela diferença comportamental dos dois protagonistas. Ambos valem a pena.
Conteúdo:
em breve
outra série baseada em filmes de sucesso mas, dessa vez, até com mais qualidade que os filmes. Ok, há controvérsias. Mas o fato é que a série animada fez bastante sucesso na Globo, ficou um bom tempo no ar, mas acabou caindo no esquecimento. Bem fiel aos filmes, era mais caricata e com piadas mais leves, até pelo público alvo ser o infantil. Mas não deixa de ser divertida.
Conteúdo:
Em breve
Tá aí um dos melhores cartoons de todos os tempos e um dos mais desconhecidos também. Com um roteiro super complexo, mas super divertido, fazia paródias clássicas com vários games. O "N" do capitão era a marca da Nintendo sendo expandida, assim como Megaman, presente com características diferentes do famoso da Capcom, na época, ainda uma filial da empresa de Mario, por isso a aparição na série. Imperdível pra quem gosta tanto de cartoons quanto de games. Top 10 fácil dessa lista toda.
Conteúdo:
Desesperado atrás desse
Spiff & Hércules remete ao clássico caça gato ao rato. No caso, é mais a rivalidade entre cão e gato, mas sem fugir da tradicional desavença. Com um certo clima que beirava até a tosquice, a graça do desenho era essa. Praticamente um passa-tempo. Como curiosidade, o fato do cartoon ser uma produção franco-alemã, fugindo da características principal dos cartoons produdizos na terra do Tio Sam.
Conteúdo:
Em breve
Dennis, o pimentinha (nome dado pela distribuidora brasileira), fez bastante sucesso e tinha episódios bem legais, sempre com roteiro fácil, dinâmico e interessante, apesar de serem bem curtos. Um dos grandes clássicos do SBT, merece destaque.
Conteúdo:
Em breve
Outro cartoon que eu nunca tive entre os favoritos mas, assim como Dennis, o pimentinha, é outro clássico do SBT. Super divertido pra ver numa tarde chuvosa comendo bolacha, hehe. Destaque para o carro bem legal do inspetor, que lembrava o Delorean.
Conteúdo:
Em breve
Sim, Bill & Ted! Cartoon originado do filme de mesmo nome, estrelado por Keanu Reaves, porém muito mais divertido. Episódios bem legais, sempre caricatos e viajando a vários períodos da história, além das trapalhadas em tempo real. Um dos mais legais, sem dúvida alguma! Pena ser tão difícil achar episódios. Destaque pro imbecil do Reaves que disse ter vergonha de ter feito o filme, anos depois, quando já famoso. Trouxa!
Conteúdo:
Em breve
Poesia em forma de cartoon. Creio ser essa a melhor maneira de resumir o que representa o Peanuts para o mundo dos cartoons. O nome Peanuts, aliás, é pouco conhecido, uma vez que seus personagens principais (Snoopy e Charlie Brown) transcendem a série e se tornam, além de título do desenho na cabeça de muitos, quase como algo a parte, tamanho suas complexidades e seu carisma. Com certeza uma das maiores obras primas entre os cartoons. Obra do mestre Charles Monroe Schulz que, ainda nos quadrinhos, fez essa série se tornar cult (merecidamente) em todo mundo. Obrigatória pra toda criança.
Conteúdo:
Longa especial de 700MB dublado
Sem dúvidas, o spin-off de maior sucesso da história dos cartoons. Timão e Pumba, a dupla que apareceu pro mundo no filme "O Rei Leão", ganhou uma série própria, dinâmica e a altura dos dois ícones do "bon vivant life style". Tardes inesquecíveis assistindo a série no extinto TV CRUJ, no SBT. Muito recomendado pra quem está de baixo astral e quer, literalmente, se divertir em frente a TV. Hakuna Matata (precisa dizer mais nada).
Conteúdo:
Em breve
A Nossa Turma, cartoon bastante mostrado no SBT dos anos 80/90, não é dos de melhor qualidade gráfica, nem de maior sucesso, mas marca por suas histórias extremamente infantís e divertidas. Com vilões quase sem maldade, a série chega a ser infantil até demais as vezes. Mas compensa pelas boas lembranças.
Conteúdo:
Em breve
Símbolo máximo da preguiça, outro que saiu dos quadrinhos de grandes jornais pra ganhar o mundo nos mais variados produtos. E o cartoon é, com certeza, depois dos quadrinhos, o melhor deles. Não é a toa que muitos se identificam com Garfield, já que sua "lezeira" é contagiante, tanto quanto divertida. Não pode faltar em nenhuma lista de cartoons clássicos. Obrigatório.
Conteúdo:
30 episódios em .avi com as duas dublagens feitas em Português
Outro cartoon da série dos "quase ninguém viu". Como teve exibição breve na Globo no meio dos anos 90, pouca gente se lembra. Um grupo de dinossauros humanóides, adoradores de jazz, se vestem com armaduras que lembram o Robocop, com cores variadas, pra combater o crime na cidade de Chicago. Premissa estranha mas que traz um resultado final bem divertido. Pegou muito do sucesso (e idéia) das TMNT, mas tem suas próprias raízes. Muito bom e raro.
Conteúdo:
Em breve
Tintin é um cartoon ímpar. Com roteiros muito acima da média, até por ser voltado ao público adolescente (e, por que não, adulto). Obra do belga Georges Prosper Remi, começou nos quadrinhos, assim como seu conterrâneo Smurfs. Mas, diferente da série dos pequenos azuis, Tintin se voltou para um lado de aventuras, com temática avançada e episódios que se ligam um ao outro. Foi exibido pela TV Cultura e, nem por isso teve pouco alcance. Sempre muito legal e intuitivo.
Conteúdo:
Em breve
Ok, tem cartoons estranhos. Outros são até bobos. Mas quem fez "Grump, o feiticeiro trapalhão" (título em português), fumou um belo baseado. E o resultado é até divertido, tamanha a tosquice. Exibido pela Globo nos anos 90, a série conta a história do jovem Terry, protetor da princesa Aurora e seu cachorro vermelho(!), cujo fucinho sai do corpo(!) contra as tentativas do vilão feiticeiro Rabugento (o Grump do título) e seu dragão trapalhão. Não há muito o que esperar além de muita loucura em episódios curtos.
Conteúdo:
Em breve
Alvin e os esquilos não está entre meus favoritos, mas não deixava de acompanhar. A série, que ganhou um filme [horrível] recentemente, conta a história dos 3 irmãos esquilos que tocam numa banda e vivem em meio aos humanos. Difícil entender porque Alvin tem tanto destaque sobre os irmãos.
Conteúdo:
Em breve
O nome original (TaleSpin) é um trocadilho com a palavra em língua inglesa "tailspin", que é uma expressão para definir uma rápida queda proposital de um avião em espiral. A palavra "Tale" do nome é originário da série DuckTales, pois o personagem Capitão Bóing era originalmente cotado para estrelar a série, depois substituído pelo urso Balu. A série teve um episódio piloto exibido em março de 1990 no Disney Channel e, a partir de setembro do mesmo ano, teve início sua exibição original. O conceito original da série era servir de introdução para a animação feita especialmente para televisão Plunder and Lightning, que depois seria nomeado para o Emmy Award como Melhor Programa em Animação (Para Programas de Uma Hora ou Mais) em 1991, sendo que mais tarde, fora re-editado para se tornar quatro episódios de meia hora cada. A série fora exibida no programa The Disney Afternoon até 1994, quando chegou ao episódio de número 65. Entretanto, continuou sendo exibida em horários alternativos em outros programas e canais do grupo Disney, com o canal Toon Disney, de onde fora reprisado de 1998 até recentemente em 2008. Vários personagens foram baseados em outras séries da Disney, principalmente The Jungle Book (conhecido no Brasil como Mogli, o Menino Lobo), em particular o urso Balu (Baloo, no original), protagonista da série. Mesmo o personagem Kiko (Kit, na versão original) tinha características de Mogli, personagem principal da animação The Jungle Book. A série teve seu enredo baseado em um programa da ABC de 1982 chamado Tales of the Gold Monkey, incluindo o avião que flutuava sobre a água, a relação conturbada do piloto com sua namorada (na série animada com a dona da empresa), o mecânico atrapalhado, as batalhas aéreas, os cenários semelhantes, além do fato de darem nomes de aves para seus aviões e frequentarem uma taverna de mesmo nome, "Louie´s". Também houve inspiração em outra série de TV chamada Cheers, estrelada por Ted Danson e Kirstie Alley, que interpretam dois sócios em um bar que vivem brigando, mas sentem atração mútua (assim como Balu e Rebecca na série animada). Os criadores e roteiristas da série, Jymn Magon e Mark Zaslove, trabalhavam intensamente na supervisão da série para que tudo saísse como o desejado, apresentando também uma das mais vastas quantidades de personagens já vista em séries da Disney. Dentre algumas características intensamente trabalhadas, mas que não ficam claramente reveladas, está o fato da série se passar no pós-Segunda Guerra, com países fictícios representando a URSS, por exemplo, ou mesmo a China, ex-países comunistas. Fatos como esses deram a série a fama de ser carregada de simbologias e mensagens subliminares. A série se desenvolve na Cidade-Estado de Cabo Suzette (Cape Suzette, no original, trocadilho com o nome da sobremesa Crêpe Suzette), localizada em uma região de altas montanhas onde só é possível sair através de uma pequena fenda e de avião. O local é guardado por pesada defesa anti-aérea, para evitar ser saqueada por piratas aéreos. Não há presença de personagens humanos, e a série, apesar de não explicitar, se passa em um período semelhante a um pós-guerra, onde a comunicação primária é o rádio. Toda a história se desenvolve no urso piloto Balu, que passa a ser empregado de empresária Rebecca Cunningham, quando essa compra a empresa dona do avião Marreco (Sea Duck, no original) e a renomeia para "Me Chame para Voar" (Higher For Hire). Um pequeno e ambicioso garoto (urso) chamado Kiko Chutanuvens conhece Balu e começa a seguí-lo nas entregas, sendo adotado. Ambos passam a ser piloto e co-piloto de entregas da empresa, pilotando um Conwing L-16 modificado. Quase sempre as aventuras se desenvolvem na tentativa de Don Karnage, um pirata aéreo, de roubar as entregas que a empresa tem que fazer para outros países. Don Karnage que representa o país fictício de Têmbria (Thembria), uma paródia da União Soviética. Também existem vários outros locais na série, que seriam ilhas independentes, como o pequeno arquipélago onde se localiza a taverna do macaco Louie, frequentemente visitado por Balu.
Conteúdo:
em breve
Há vários motivos pelos quais "Os Super Patos" merecem destaque nessa coleção. Primeiro, por serem mais um produto Disney (a velha qualidade garantida). Outro por ser outro ícone do extinto TV CRUJ. Porém, nada mais chama atenção do que o Hockey. Não bastasse a série animada ter sido originada dos filmes (chamados de D2), ainda gerou uma franquia na NHL com os Mighty Ducks, hoje em Anaheim na Califórnia. Dizer que é uma franquia de sucesso (tanto filmes, quanto cartoon, quanto time) é quase redundância. Resumindo a série: um time de hockey que joga a liga local, num mundo formado por patos (sempre com os bicos semelhantes do Donald), combatem o crime disfarçados em máscaras e armaduras, além de sua nave que sai do gelo do ginásio. Série com muita ação, lances (não só de hockey) divertidos e toda bagagem que traz consigo. Vale demais a pena. Mas é difícil de encontrar.
Conteúdo:
em breve
Bom, há vários cartoons raros nessa lista, porém, poucos são tão desconhecidos quanto "As Aventuras do Bocas" (isso mesmo, nome no plural, como Lucas, Douglas, etc). O cartoon tambem chegou a ser chamado no Brasil por "Olé, Ollie" (puts!). Originário da Holanda, de uma série de quadrinhos criadas por Wil Raymakers e Thijs Willems baseadas em uma fábula local, chegou ao cartoon através dos japoneses. Sim, é um raríssimo cartoon japonês (ou um anime com traços não-tradicionais, se preferir). Cartoon de extrema qualidade gráfica (como praticamente tudo que vem de animações do Japão), expressões super valorizadas (outra à lá animes) e roteiros interessantíssimos, sempre mostrando o personagem principal em situações onde tira lições pra vida. Daí vem toda a magia da fábula de onde tudo começou. O personagem principal é um boi, que segue conselhos de uma girafa e uma tartaruga amiga, sempre vivendo de forma tranquila em seu rancho em middlewhere, o famoso "lugar algum". Além das histórias sempre muito bem elaboradas, alguns destaques vão para o tradicional sapato holandês (não sei se é esse o termo correto) usado pelo Bocas e a dublagem brasileira, impecável. Raro mas indispensável. Há alguns episódios no YouTube com a dublagem de Portugal, o que não faz valer a pena. Legal é a clássica brasileira. À procura.
Conteúdo:
em breve
Turma da Mônica é uma série de histórias em quadrinhos criado por Mauricio de Sousa no ano de 1959. É a principal série (chamadas de "turmas") criada pelo cartunista, possuindo ainda uma série de minigrupos, nos quais as personagens passam por várias peripécias cotidianas. O termo pode se referir também a todas as personagens já criadas por Mauricio, mas que, a rigor, não fazem parte da "Turma da Mônica", tais como as personagens da Turma da Mata ou da Turma do Penadinho. Os primeiros personagens da Turma da Mônica foram Bidu e Franjinha publicados pela Editora Continental em 1960. A Turma da Mônica foi publicada pelas editoras Abril e Globo e desde 2007 vem sendo publicada Panini Comics, além da publicação de tiras no formato de bolso pela própria Panini e pela L&PM. É, sem sombra de dúvidas, a série de animações (juntamente com quadrinhos) mais famosa do Brasil, sem qualquer outro parâmetro de comparação. Já foi exibida pela Rede Globo e, atualmente, está no Cartoon Network, desde 2004.
Conteúdo:
47 episódios clássicos em .avi (em português, óbvio)
O Pequeno Scooby-Doo foi produzido entre 1988 e 1991. Os personagens típicos do desenho eram mostrados em sua infância, mas sempre às voltas com casos misteriosos. O desenho é baseado no Scooby-Doo, Cadê Você?, com todas as características. Um grupo constituído por quatro adolescentes metidos a detetives (Fred, Velma, Daphne e Salsicha) e o cão dogue alemão chamado Scooby-Doo, viajam num furgão psicodélico chamado Máquina Mistério, e ajudam a investigar casos misteriosos (através da empresa Misterios S.A.). Visitam lugares inóspitos, casas mal-assombradas, parques abandonados, pântanos e ilhas, ameaçados por fantasmas, múmias, monstros e terríveis vilões. O novo formato acompanhou a tendência de "babyfication" de personagens de desenho animado mais velhos transformados em crianças. Tom Rüegger, o produtor, construiu em cima do humor ligeiramente irreverente que tinha estabelecido junto com Mitch Schauer, o produtor de Os 13 Fantasmas do Scooby-Doo. Isso resultou em uma versão comica do Scooby-Doo, onde músicas eram cantadas em estilo de Rock quando os personagens fugiam de monstros e fantasmas. A direção da animação e sua supervisão ficou por conta de Glen Kennedy que animou muitas das sequências de personagens. Uma característica da série é Fred, que acusava consistentemente um personagem chamado "Ruivo Herring" por todo e qualquer crime que acontecesse, sendo que Ruivo Herring sempre foi inocente, com exceção de um episódio em que Fred prometeu que não iria menciona-lo, Ruivo Herring foi culpado. As fugas dos personagens de fantasmas e monstros sempre tinha o rock como música de fundo, em algumas partes dessas fugas era comum os personagens dançarem. Os fantasmas e monstros eram também mais cômicos, tais como uma criatura feita de queijo derretido e o fantasma da carrocinha. Apesar de ter sido baseado no original Scooby-Doo, Cadê Você?, o desenho não parece não ter semelhanças com ele e com a época de quando foi lançado (anos 60), mas no ano de sua produção, dos anos 80 para 90. Isso pode ser visto com Velma, que usa um computador, numerosas aparições de helicópteros e as vestimentas do elenco, nenhum dos quais estavam presentes nos 50 ou 60.
Conteúdo:
4 episódios clássicos em .avi com dublagem clássica em Português

Veja o conteúdo detalhado através de uma Lista Completa clicando aqui: Cartoons (Lista)